Orientação

Quando escreveres minha história…

Não te detenhas nos ditos, pleonasmos e vocativos.
Leias-me as ausências, silêncios
– verbos indevidos.
As pausas pau-sa-da-mente repetidas
preenchendo lacunas do não-vivido.
E as coisas ver-da-dei-ra-mente fingidas que,

ja-mais, ousaria dizer!…
.
Hercília Fernandes

Fonte: http://leonorcordeiro.blogspot.com/

Anúncios